09 março 2017

Linha do tempo, aprendizados e tipos de carência.

Aos 13 eu sofri a 1ª decepção amorosa da minha vida. Aos 15, eu jurava que nada poderia me ferir. Aos 16/17, acreditei ter encontrado o amor da minha vida. Aos 18,... Bom, aos 18 entendi que aos 13 eu tive ao meu lado, meu melhor amigo, então, não foi uma decepção, foi aprendizado. Aos 18 "aprendi", na realidade entendi que aos 15, foi a fase mais vulnerável da minha vida (até hoje), afinal, eu passava tanto tempo preocupada com "Não me machucar", "Não ser feita de boba", "Não chorar por nenhum cara", que francamente eu se quer pude ver de onde veio o que na época "me feriu (Chega a ser cômico, né?).....Aos 17,..aprendi, entendi e descobri "umontão" de coisas... Aos 17 aprendi que existem sentimentos tão similares ao amor que podem te magoar tanto quanto quando se trata do ""original"" mas na verdade são sentimentos que podem ser melhor descritos como mentiras fantasiadas ou frustrações mal resolvidas que se apegam a uma ilusão e então, quando "misturada" com aquela felicidade momentânea, se potencializa, o que faz com que na hora do adeus tudo pareça no mínimo um milhão de vezes pior do que de fato é. É...Ainda aos 17, entendi que amor não se trata apenas de... Química, consideração e brilho nos olhos... 

"Ué, mas como assim?"
Assim, aos 17 , entendi o que William Shakespeare tentou transmitir em Romeu e Julieta...
Amor é sacrifício.
Amor é insistência.
Amor é persistência independente dos "mas" e poréns".
Amor é uma grande babaquice.
Rs (Brincadeira, foi só pra descontrair)...
Mas como eu ia dizendo...Amor se resume a não ir embora.
(Não estou falando que não é amor "de verdade" aquelas situações onde "eu amava tanto que preferi "deixar ir"), sabe? Isso acontece, de fato, essas situações existem mas se for amor, aquele sentimento NUNCA sairá do seu coração, o que não acontece na maioria dos casos. Onde o que de fato rola, é que o "amor" simplesmente "some", o que acaba sendo uma ótima justificativa quando eu digo "não era amor, nunca foi e jamais será." Francamente, aos 17 eu entendi que amar não é fácil. (Não que alguém tenha dito que fosse) mas é justamente por tudo isso que hoje posso afirmar, eu não amei aos 17. Pois é... Até eu fico surpresa porque na época eu realmente achei que tivesse, mas não.
Porra, agora com 18 eu entendi e aprendi coisas demais, DEMAIS mesmo.
Como por exemplo, que amizade é uma palavra forte demais pra sair distribuindo por ai... Já me decepcionei com algumas das minhas, confesso mas vi muita coisa acontecer, inclusive, ÓTIMO exemplo pra citar outra "coisinha" que aos 18 aprendi...Aprendi também que É SIM possível aprender com os erros alheios. Esse ano mesmo aprendi com os de diversas pessoas, assim como errei com inúmeras. (Disso nós falaremos em breve)....
"Mas e com relação ao amor Luana?" Sobre o amor minha gente...
Sempre acreditei que existiam diferentes formas de amor e não to entrando em assunto mais polêmicos como opção sexual, enfim...Estou falando por exemplo, do amor que eu sinto pela minha cachorra ser similar e/ou maior do que o amor que sinto por alguns amigos mas que também é inferior ao meu amor por Deus, que se iguala ao amor que sinto pela minha família, que é parecidíssimo com o amor que sinto quando ajudo alguém que precisa, o que pra mim é tão valioso quanto o meu amor próprio. Bingo! Chegamos enfim a mais um dos meus aprendizados...
Tão famoso e citado em vão, "o amor próprio"...É citado em vão SIM. E na maioria das vezes não é por querer não, viu? Mesmo porque "todo mundo" quer aprender a lidar com esse enigma que pode te fazer voar ou te afundar até o sol se tornar inexistente à sua vista... (Que profundo hã?)
Bem, pra ninguém ser perder na linha de raciocínio (inclusive eu)... sempre tive alguns probleminhas de auto estima, o que me deixava quase que sempre brigada com o amor próprio, sabe? Nao que hoje eu seja super "nossa, como ela se ama, auto confiança nela não tira férias"... não é bem assim.
Eu ainda acho que aquela blusa branca não fica boa por causa daqueles "pneusinhos" sobrando mas hoje, eu sei que enquanto os "pneusinhos" não forem embora, eu não serei menos desejada, nem menos respeitada, nem menos levada a sério e nem menos NADA. Porque hoje, eu sei o quão duro foi em toda a minha vida conquistar diversas coisas, pessoas, enfim. Hoje eu sei que por mais que eu ainda erre (e não é pouco), eu não perco a minha essência por isso. Sabe? Hoje... hoje eu sei que mesmo que ninguém no mundo queira estar ao meu lado, eu sigo me considerando uma ótima companhia, com "pneusinhos" e tudo mais.
Ah, esses 18 anos...(...)

Sabiam que eu também aprendi sobre festas? SIM, eu aprendi e entendi porque todo mundo diz que cachaça cura todo e qualquer coração partido, afinal, te enche de coragem o que te enche de novos braços e carinhos, o que acontece por inúmeros finais de semana, o que se resume à: cachaça na realidade não cura nada, só te facilita "uns beijinhos" depois de tanto tempo "fora das pistas". Porque na realidade, o que cura toda e qualquer dor é só o tempo, que para os cacheiros de plantão é mascarado por doses de tequila, o que gera aumento significativo nos contatos do "wpp" e nas solicitações do "face" mas tudo isso é algo que vira rotina em todos os seus finais de semana, o que é sinônimo de tempo, afinal, 1 mês possui 4 finais de semana e poxa, sejamos honestos... 2 meses tentando curar um coração partido de um "falso amor"... menina do céu! 
É tempo pra caramba!
Envolve gente pra caramba, inclusive, você já se apaixonou quantas vezes depois dele? Rs
To brincando mas deu pra entender? Não to falando que eu não tomei um porre até bater a cabeça no portão depois que tudo acabou aos 17 MAS a titia logo aprendeu que no final do me$, contar apenas com o tempo sai bem mais em conta, viu? hahaha MAS É CLARO vocês não sairão por aí bebendo, afinal, menor de idade não pode ingerir bebidas alcoólicas e vocês sabem disso né, então...

Aprendi a fazer os outros sorrirem!
Mesmo que fazendo isso eu pareça uma grande idiota, não há nada mais gratificante que fazer alguém sorrir...Assim como não há nada mais frustrante que fazer alguém chorar. Eu apenas não havia sido informada ainda de que existem muitíssimos "tipos" de carência...É, isso mesmo...Vários tipos de carência, você não leu demais a ponto de embaralhar a vista....
Sabe quando aparece alguém logo depois que sua vida fica vazia e você jura que aquela pessoa possui absolutamente todas as qualidades que a classificariam como o verdadeiro amor da sua vida? Então, aquilo dura pouco. Pode ser que seja real, mas por inúmeras vezes, é só carência... Eu não sabia. Eu nunca soube, e então, tratei como amor, o que na realidade não era nada. Não existiam borboletas, nem brilho nos olhos, nem nada. Era só concerto momentâneo de buracos, até que quase bati o carro, então, como que em uma realidade paralela, de forma inesperada e esquisita, apareceram novas pessoas na minha vida. Novos amigos, novos... bom, como eu posso chamar alguém que te desperta TUDO mas que confunde tudo? Louca? Ok. Apareceram loucos na minha vida. Um deles inclusive foi quem me contou a respeito da carência, o que me deu coragem... Coragem não só para tentar algo que eu não mais queria como também para por fim a algo que jamais existiu...
É, muito complicado...Mas só é mais difícil enxergar para aqueles que não querem ver, certo? Certo.
Hoje aos 18 eu sou uma mulher realizada. (80%)
Solteira (às vezes bate aquela bad, principalmente no frio, confesso).
Mas ainda sim, capaz de fazer qualquer coisa sem a necessidade de um "ombro" ou de um "colo". Claro que com tudo isso é bem mais agradável, confortável, mas francamente...
Eu aprendi e entendi há pouquíssimo tempo, que prefiro esperar para perder o fôlego com milhares de cobertas, travesseiros e um cachorro, do que seguir tentando me adaptar a qualquer maré correndo o risco de morrer afogada a qualquer momento sem antes ter as mãos em um encaixe perfeito como em um quebra-cabeça. Sem ser o sorriso que faltava pra vida de alguém e sem receber a força desse alguém pra me acrescentar e realizar todos os sonhos ao meu lado... É algo difícil de encontrar mas se você olhar bem de perto facilmente poderá ver que é diferente, afinal, quando o verdadeiro amor chega... aquelas pessoas nasceram para se completar. E pelo que ouço falar... É ainda mais incrível como geralmente elas surgem do nada, sem hora nem data... Simplesmente chegam e fazem morada.

0 COMENTÁRIOS:


♡ Em caso de dúvidas: ([email protected] ) ♡